Mãe com demência grave recupera a memória depois que o filho a coloca sob uma dieta especial

Três anos atrás, Mark Hatzer percebeu que sua mãe de 82 anos, Sylvia, estava nos primeiros estágios da demência.

Chegou ao ponto em que foi forçado a levá-la ao hospital quando ela se tornou um perigo para si mesma.

A doença ficou tão grave que Sylvia nem sequer reconheceu o próprio filho e, a certa altura, acusou as enfermeiras de tentar seqüestrá-la.

No entanto, de acordo com o jornal britânico Manchester Evening News, ela seguiu uma certa dieta por muitos meses e conseguiu recuperar sua memória.

Talvez, apenas talvez, isso possa ser uma descoberta inovadora na luta contra a demência…

O pai de Mark morreu de um ataque cardíaco em 1987 e quando sua mãe de 82 anos desenvolveu demência, estava preocupado pois logo poderia virar órfão.

Sylvia recebeu dos médicos remédios prescritos para sua doença, mas Mark não deu a ela. Em vez disso, criou uma dieta especial para combater a demência, que estava em um estágio avançado.

Após extensa pesquisa, Mark descobriu que a demência era menos comum em países ao redor do Mediterrâneo. Ele pensou que tinha que haver uma causa para isso; que não poderia ser coincidência.

Ele não achava que era o clima – ele estava considerando algo completamente diferente.

Mark resolveu dar à mãe o mesmo tipo de comida tipicamente consumida nos países do Mediterrâneo.

“Todo mundo sabe sobre os peixes, mas também tem mirtilos, morangos, castanhas e nozes – eles têm a aparência de um cérebro para nos dar um sinal de que são bons exatamente para isso”, disse Mark ao Manchester Evening News.

Sylvia também começou a consumir brócolis, aveia, batata doce, chá verde e chocolate amargo.

Depois de meses nesta dieta rigorosa, ela lentamente foi recuperando sua memória. Uma transformação incrível.

“Não foi um milagre da noite para o dia, mas depois de alguns meses ela começou a lembrar coisas como aniversários e estava se tornando novamente mais alerta”, contou Mark.

“As pessoas acham que, quando você recebe um diagnóstico, sua vida termina. Você terá dias bons e ruins, mas não precisa ser o fim.”

Alzheimer's sufferer Sylvia Hatzer, 82, has transformed her condition with diet and brain exercise.

Posted by Manchester Evening News on Saturday, 21 April 2018

Sue Clark, uma representante da “Alzheimer’s Society”, acredita que atualmente não há uma cura reconhecida para a demência, nem nada que possa impedi-la. Ela concorda, no entanto, que a alimentação saudável e o exercício cognitivo podem ajudar.

“Eu fiz isso pela minha mãe – ela tem a condição e passou por toda essa dura rotina – mas se o que conquistamos pode beneficiar outras pessoas também, então é ótimo”, diz Mark.

Em homenagem à descoberta potencialmente revolucionária de Sylvia e Mark, a senhora de 82 anos foi convidada para a festa anual de verão da rainha Elizabeth.

Que incrível! COMPARTILHE esta história para espalhar a palavra a toda a família e amigos! Nós podemos vencer isso juntos!