Menina de 10 anos é “expulso” do ônibus da escola por bullying: mas o pai, em seguida, ensina-lhe uma lição para a vida

Embora nós gostássemos de acreditar que nossos filhos são anjos, infelizmente nós freqüentemente descobrimos que isso nem sempre é o caso.

Quando percebemos que nossos filhos não são tão bons quanto gostaríamos que fossem, isso pode ser muito decepcionante e, como pais, a primeira coisa que fazemos é nos culpar.

Mas como reagimos a esse comportamento pode ser crucial para eles. Infelizmente, alguns métodos são muito difíceis de aplicar.

Exatamente o quê faz alguém querer ser mau com os outros eu não entendo. Mas uma coisa é certa: como pai, você tem a responsabilidade de ensinar seus filhos a fazer a coisa certa. E bullying definitivamente não é algo bom .

Quando um pai descobriu que sua filha de 10 anos foi suspensa do ônibus da escola por três dias por bullying, ele decidiu que tinha que lhe ensinar uma lição, de acordo com a   News5 Cleavland .

O pai Matt Cox, de Ohio, decidiu que, em vez de levá-lá, faria a filha andar os oito quilômetros que separam a casa da escola por três dias.

“Minha linda filha vai andar oito quilômetros até a escola. Chova ou faça sol”, diz Matt em um vídeo feito enquanto dirigia atrás dela em direção a aula.

“Os pais precisam responsabilizar seus filhos, então eu que mostrei como estou responsabilizando a minha”, disse Cox à WTVG depois que seu vídeo se tornou viral.

Flicka
Facebook / Matt Cox

Matt sentou-se no carro e dirigiu-se lentamente atrás da filha para se certificar de que ela estaria segura. Ele disse que ser levado para a escola era um “privilégio e não um direito”.

O pai da menina gravou a filha andando para a escola, explicando a situação e compartilhou online. Seu vídeo foi assistido por 18 milhões de pessoas em apenas cinco dias.

Muitos comentários apoiaram suas ações, mas outros disseram que era um castigo muito duro.

Dê uma olhada no vídeo de Matt abaixo:

Acho que o bullying é inaceitável e, como adultos, precisamos fazer tudo o que pudermos para impedi-lo.

Se a maneira de Matt lidar com a situação estava certa ou errada, acho que mais pais deveriam assumir a responsabilidade pelas ações de seus filhos. 

O que você acha? Compartilhe o artigo com seus amigos no Facebook para descobrir o que eles acham