Tweet about this on Twitter Pin on Pinterest Share on Facebook

Policial salva a vida de menina em incêndio — mas ela só descobre a verdade 18 anos depois

Em 1998, um incêndio destruiu completamente um prédio de apartamentos em Hartford, Connecticut, nos Estados Unidos. Foi um pesadelo total. O local era ocupado por várias famílias, algumas com filhos.

Rapidamente, policiais, médicos e bombeiros chegaram à cena para tentar salvá-los. Um dos oficiais destacados era Peter Getz. Quando entrou no prédio, teve uma visão terrível. Ele viu uma menina de cinco anos deitada no chão desacordada e coberta de fuligem e fumaça. E sem perder um segundo, ele a levantou e saiu correndo da casa.

Do lado de fora, ainda não havia ambulâncias. Ele estava contra o tempo e a garota não respirava. Peter correu para o carro e colocou-a no banco de trás. Então, ele chamou um colega e pediu-lhe para levá-los imediatamente para o hospital.

No caminho, Peter realizou procedimentos de reanimação na garota. E quando chegaram ao setor de emergências, a garota estava respirando de novo. Seu nome era Josi Aponte, de cinco anos, e Peter acabara de salvar sua vida.

Em 2016, completou-se 18 anos desde aquele dia terrível. Peter nunca se esqueceu da menina, e ao longo dos anos, ele esteve atento a ela e à mãe. Ele sempre esteve pronto para ajudar se elas precisassem de apoio, mas até então nunca precisou intervir.

Josi não tinha idéia de que o policial ainda estava por perto. Mas ela ainda tinha o ursinho de peluche que ele dera a ela quando estava internada. Anos mais tarde, Josi queria descobrir mais sobre o que aconteceu naquele dia, quando tinha cinco anos e quase morreu no fogo.

Então, em 2014, Josi procurou pelo acontecido no google e encontrou uma foto de Peter com ela. Assim que viu, sabia que tinha que entrar em contato com o homem que salvou sua vida anos atrás. Então conseguiu encontrar Peter no Facebook e escreveu para ele.

Josi e o policial agora aposentado começaram uma amizade. Eles costumam almoçar juntos e Josi diz que vê Peter como seu anjo da guarda.

“Eu quase morri, mas me deram uma segunda chance na vida”, disse Josi ao The Hartford Courant. “E foi por causa de Peter e de todos que vieram ajudar naquele dia”.

Em maio de 2016, Josi se formou na Eastern Connecticut State University e Peter estava lá para aplaudi-la. Já se vão 18 anos desde que ele salvou sua vida, e Josi não teria chegado lá se não fosse por Peter.

Peter disse em entrevistas que estava apenas fazendo seu trabalho quando salvou Josi e que não merece ser celebrado mais do que outros policiais e bombeiros que salvam as pessoas todos os dias. Mas para Josi, ele sempre será o maior herói do mundo.

Você também ficou comovido com essa história? Compartilhe com seus amigos no Facebook!

Publicado por Newsner. Por favor, curta.