Tweet about this on Twitter Pin on Pinterest Share on Facebook

Terry desafiou todos os obstáculos na vida, se recuperou e voltou ainda mais forte

Quando Terry Apudo não apareceu na igreja no dia do próprio casamento, sua família e amigos imediatamente souberam que algo estava muito errado. Mas o verdadeiro motivo para a ausência de Terry em um dia tão especial foi mais terrível do que os convidados poderiam imaginar.

 

Terry Apudo, era uma jovem pastora que pregava em uma pequena igreja em Nairobi, no Quênia.

Seu casamento com Harry Olwande, estava em marcado há muito tempo e o casal estava no meio dos preparativos para o grande dia.

Segundo a tradição local, os noivos passaram juntos a noite anterior ao casamento.

Na manhã seguinte, quando Terry deixou sua casa e caminhou pela estrada, notou um homem sentado no capô de seu carro.

Ela passou por ele, mas minutos depois, o homem correu e a puxou por trás.

O agressor a agarrou violentamente e a jogou no banco de trás de seu carro, onde dois outros cúmplices aguardavam.

A pastora foi sequestrada no que seria o dia do casamento, como informou a BBC.

“Eles colocaram um pedaço de pano na minha boca. Eu chutava, batia e tentava gritar”, disse Terry à BBC. “Quando consegui tirar a mordaça, gritei: ‘É o dia do meu casamento!’ Foi quando eu dei um golpe. Mas, um dos homens me disse para ‘cooperar ou ia morrer’”.

O pesadelo não terminou lá – o horror continuou dentro do carro. Terry continuou a contar sua história à BBC:

“Os homens se revezaram para me violar. Tinha certeza de que eu ia morrer, mas ainda estava lutando pela minha vida, então, quando um dos homens tirou a mordaça da minha boca, mordi sua genitália. Ele gritou de dor e um deles me esfaqueou no estômago. Foi quando eles abriram a porta e me jogaram do carro em movimento.

Eu estava a quilômetros de casa, fora de Nairobi. Mais de seis horas tinham se passado desde que fui sequestrada.

Uma criança me viu jogada fora e chamou sua avó. Pessoas vieram correndo. Quando a polícia chegou, eles tentaram conferir meu pulso, mas ninguém conseguia. Eles acharam que eu estava morta. Me enrolaram num cobertor e foram me levando para o necrotério. Mas, no caminho, me engasguei e tossi. O policial disse: ‘Ela está viva?”. Felizmente, deu meia volta e me levou para o maior hospital público no Quênia’.

Cheguei em choque, murmurando incoerentemente. Eu estava meio nua e coberta de sangue, e meu rosto estava inchado por ter sido esmurrado. Mas algo deve ter alertado a enfermeira, porque ela deduziu que eu era uma noiva. ‘Vamos fazer uma ronda pelas igrejas para ver se eles estão a procura de uma noiva”, ela disse às colegas’.

“Por coincidência, a primeira igreja em que chegaram foi a Catedral de Todos os Santos”, disse Terry. “Você está procurando por uma noiva?” perguntou a enfermeira. O ministro disse: “Sim, nosso casamento estava marcado para às 10 horas e ela não apareceu”.

Quando os convidados do casamento descobriram o verdadeiro motivo do desaparecimento de Terry, as pessoas começaram a gritar e a chorar dentro da igreja.

A família de Terry e seu noivo, Harry, correram para o hospital imediatamente. Terry teve de ser transferida para outro hospital, onde o grau completo de suas lesões físicas se tornou dolorosamente aparente.

“Foi aí que os médicos se juntaram e me deram uma notícia devastadora”, diz Terry.

Os médicos disseram a Terry que as feridas pela facada eram tão profundas que ela não poderia ter filhos.

Ela continuou a contar sua história para a BBC:

“Eles me deram a pílula do dia seguinte, bem como medicamentos anti-retrovirais para me proteger contra o HIV e a AIDS. Minha mente se fechou. Ele se recusou a aceitar o que aconteceu.

Alguns dias depois, quando estava menos sedada, pude olhar para ele [Harry] nos olhos. Eu ficava pedindo desculpas. Senti como se eu tivesse decepcionado. Algumas pessoas disseram que era minha culpa por deixar a casa pela manhã. Foi realmente doloroso, mas minha família e Harry me apoiaram”.

Apesar de tudo, Harry ainda queria se casar com Terry – o amor de sua vida.

A cerimônia ocorreu em julho de 2005, sete meses após a primeira data planejado.

Por fim, eles ficaram juntos no altar e conseguiram celebrar e mostrar seu amor uns pelos outros.

Tudo parecia estar dando uma volta para melhor, mas o destino às vezes funciona de maneira misteriosa.

Apenas 29 dias depois de finalmente se casarem, ocorreu outra catástrofe.

Em uma noite muito fria, Harry decidiu aquecer a casa com o pequeno fogão a carvão do casal, que costumava ser usado ao ar livre para cozinhar.

Infelizmente, o casal adormeceu quando o fogo (e fumaça) começou a se espalhar na sala. Quando Terry acordou um pouco mais tarde, percebeu que algo não estava certo.

Estava tonta e não podia sair da cama. Com a pouca força que ela ainda tinha, conseguiu chegar ao telefone ao lado de sua cama para pedir ajuda aos vizinhos.

Logo depois ela perdeu a consciência.

Terry conseguiu ser resgatada, mas, infelizmente, era tarde demais para Harry. Ele morreu por intoxicação por monóxido de carbono.

Terry entrou em um estado de depressão tão forte que se afastou do mundo exterior.

A única visita que recebia era um pastor chamado Tonny Gobanga. Ele ia regularmente à casa de Terry, para que ela pudesse falar sobre a dor que tinha ficado presa em sua alma.

O calor e a compaixão de Tonny deram vida a Terry e ajudaram a consertar lentamente seu coração partido.

Eventualmente, com o tempo, os dois se apaixonaram.

Ela continuou:

“Tonny me pediu em casamento e eu disse a ele que comprasse uma revista, lesse a minha história e me dissesse se ainda me amava. Ele voltou e afirmou que ainda queria se casar comigo”

Mas eu disse: ‘Ouça, há outra coisa – não posso ter filhos, então não posso me casar com você’.

‘As crianças são um presente de Deus’, disse ele. ‘Se as tivermos, Amém. Caso contrário, vou ter mais tempo para te amar'”.

Três anos depois do casamento com Harry, Terry voltou a entrar na igreja, desta vez para se casar com Tonny, que tinha devolvido a ela a vontade de viver.”

Infelizmente, sua vida parecia que estava novamente tendo contornos obscuros. Um ano depois do segundo casamento, Terry sentiu-se muito doente.

“Eu me senti mal e fui ao médico”, ela diz à BBC. “E para minha grande surpresa, ele disse que eu estava grávida”.

A gravidez de Terry foi tranquila. Ao contrário das palavras dos médicos, Terry parecia ser completamente capaz de dar à luz sem qualquer complicação.

A alegria que o casal sentiu segurando a recém-nascida Tehille em seu braço era indescritível.

Quatro anos depois, o casal teve seu segundo milagre – uma outra filha, Towdah.

Os homens que torturaram e estupraram Terry nunca foram presos ou levados à justiça.

A história completa de Terry está documentada em sua autobiografia “Crawling Out of Darkness“.

Hoje, Terry viaja com o marido Tonny e fala sobre as coisas horríveis que passou e como conseguiu a força para sair da escuridão e olhar para as coisas positivas da vida.

Ela também ajuda outras vítimas de estupro e espera que suas experiências possam inspirá-las a saber que elas não estão sozinhas.

Eu tenho que dizer que tenho grande admiração e o maior respeito por Terry – que mulher forte e corajosa!

Por favor, compartilhe esta história no Facebook para que mais pessoas tenham a oportunidade de descobrir essa história de vida inacreditável e dolorosa.

Publicado pelo Newsner. Por favor, curta