Tweet about this on Twitter Pin on Pinterest Share on Facebook

Adolescente bate de carro e mata menina — polícia encontra bilhete na mão dela que me fez chorar

Esta história é sobre uma menina. Uma menina que era inteligente e que obedecia à mãe. Mas mesmo assim, as coisas deram errado. Todo mundo precisa ler esta história.

Esta história não é só sobre essa menina, e sim sobre as milhares de pessoas que todos os dias tomam uma decisão que pode destruir a vida dos outros.

Esta história em particular é uma ficção — mas a mensagem e a importância do assunto é algo que não podemos deixar para lá.

 

Querida mamãe,

Eu fui para uma festa, mãe. Eu me lembrei do que você tinha dito.

Você disse para eu não beber, então eu tomei refrigerante.

Fiquei bem orgulhosa, mãe. Do jeito que você disse que eu ficaria.

Eu não dirigi depois de beber, mãe, mesmo que todo mundo tenha me encorajado a fazer isso.

Eu sei que fiz a coisa certa, mãe. Eu sei que você está sempre certa.

Agora a festa está acabando, mãe. Todo mundo está indo embora.

Quando entrei no meu carro, mãe, eu sabia que chegaria bem em casa.

Por causa do jeito como você me criou. Tão responsável e amorosa.

Eu comecei a dirigir, mãe. Mas quando ia entrando na estrada…

O outro carro não me viu, mãe. E bateu em cheio em mim.

Enquanto estou aqui no asfalto, mãe, eu escuto o policial dizendo…

“O outro cara está bêbado“, mãe. E agora quem vai pagar sou eu.

Shutterstock. The girl in the picture has no connection to this story

Eu estou morrendo aqui, mãe… queria que você chegasse logo.

Como isso pode acontecer comigo, mãe? Minha vida explodir assim como um balão?

Tem um monte de sangue em volta de mim. E a maioria é meu.

Eu ouvi o bombeiro dizer que eu vou morrer daqui a pouco.

Eu só queria te dizer, mãe, que eu juro que não bebi.

Foram os outros, mãe. Os outros não estão nem aí.

É provável que ele estivesse na mesma festa que eu.

A única diferença é que ele bebeu e eu vou morrer.

Por que as pessoas bebem, mãe? Isso pode arruinar uma vida.

Eu estou sentindo dores agudas agora. Agudas como facas.

O cara que bateu no meu carro está andando, mãe, e eu não acho justo.

Eu aqui morrendo, e tudo o que ele faz é me olhar.

Diz ao meu irmão para não chorar, mãe. Diz ao Pai para ser corajoso.

E quando eu for para o Céu, mãe, manda gravar “Filha do Papai” no meu túmulo.

Eu estou ficando sem ar, mãe. Estou com muito medo.

Por favor, não chore, mãe. Quando eu precisei, você sempre ficou comigo.

Tenho uma última pergunta, mãe, antes de dizer adeus.

Se eu não dirigi depois de beber, por que é que sou eu quem vai morrer?

Shutterstock

Por favor, compartilhe esta história com todos os seus amigos no Facebook — vamos mostrar a eles que ninguém deve morrer porque os outros decidiram beber e dirigir.  

Publicado por Newsner. Por favor, curta.