A história por trás da comovente imagem de um garoto de 6 anos se despedindo da irmã no leito de morte

O delicado momento em que um garoto de 6 anos se despediu de sua irmã mais nova pela primeira vez foi registrado em uma fotografia e está partindo corações em todo o mundo.

Matt Sooter, do Arkansas, tirou uma foto de sua filha de 4 anos, Adalynn “Addy”, que foi diagnosticada com uma forma rara de câncer .

“Um menino não deveria ter que se despedir de sua parceiro de crime, da sua companheira de brincadeira, da sua melhor amiga, da sua irmãzinha”, escreveu Matt.

Mais de 8.000 pessoas reagiram à emocionante imagem. Agora, os pais querem aumentar a conscientização sobre esta doença rara.

O mundo da família Sooter virou de cabeça para baixo quando souberam em novembro de 2016 que sua filha tinha Glioma Pontino Intrínseco Difuso (DIPG) , um tumor raro que começa no tronco cerebral.

Addy conviveu com o tumor por 18 meses até que seus sintomas pioraram.

Matt explicou em um post no Facebook como sua filha de quatro anos havia piorado rapidamente.

“Os sintomas de Addy progrediram rapidamente no último dia e meio. Ontem ela acordou como como sempre brincadeira. Enquanto ainda vemos pequenos momentos da nossa garota, ela não consegue mais comer, ela engole com dificuldade e está dormindo a maior parte do tempo agora que a internamos. Provavelmente ela não tem muito tempo”, escreveu no  Facebook.

Gepostet von Matt Sooter am Samstag, 2. Juni 2018

O irmão não queria deixar sua irmã

Em um post incrivelmente emocionante e comovente, ele convidou todos os amigos e parentes que queriam fazer uma despedida final à sua amada filha para contactá-los.

Matt também pediu aos seguidores que orassem pelo irmão mais velho Jackson, que não queria sair do lado de sua irmã.

Pouco tempo depois de Jackson ter dito boa noite para sua irmã e dizer que a amava, ela faleceu.

‘Doce menina que adorava ajudar as pessoas’

Poucas horas depois, em um post na página do Facebook Hope for Addy Joy – DIPG , a família anunciou a morte de sua filha.

“Ela passou desta vida para o outro lado exatamente como havia vivido: teimosamente, mas também pacificamente, e cercada pela família. Ela não sentiu qualquer dor no fim” , dizia o texto.

“Embora isso seja apenas um adeus por enquanto, sentiremos muita falta da nossa menina.”

A família doou os tumores de Addy, além do cérebro e da coluna para pesquisas científicas na “esperança de salvar futuras crianças de um destino semelhante.

“Nossa doce menina adorava ajudar as pessoas e dar presentes, então pensamos que seria uma excelente maneira de mostrar como era generoso o seu coração”, escreveram em um post no Facebook.

Facebook

Todos conhecemos alguém que foi afetado por uma doença terrível, mas é particularmente perturbador quando atinge crianças.

Descanse em paz, anjinho Addy.