Tweet about this on Twitter Pin on Pinterest Share on Facebook

Garota de 12 anos foi estuprada 43.200 vezes – saiba como é que ela vive hoje em dia

Quando Karla Jacinto tinha apenas 12 anos, ela conheceu o amor da sua vida. Ela veio de um lar desfeito, então quando aquele homem de 22 anos a tratou como uma princesa, ela se apaixonou por ela e viu uma chance de escapar da sua vida infeliz.

Ele prometeu a ela uma vida maravilhosa e, na primeira oportunidade que teve, ela fugiu com ele para outra cidade, Tenancingo, no México. Mas as coisas não foram tão maravilhosas quanto ela pensou que seriam.

Na verdade, o homem era um cafetão, e depois de viverem juntos por três meses, ele a forçou a vender seu corpo nas ruas. Das dez da manhã até a meia-noite, ela era forçada a atender mais de 30 clientes por dia.

Fugir não era uma opção, pois ele ameaçava a sua família. Ele disse a Karla e a todas as outras jovens garotas que ele mantinha sob controle que ninguém se importava com o que aconteceu com elas.

O cafetão certificou-se de que tanto os policiais quanto os padres fossem até lá e pagassem pelas garotas. Elas não tinham qualquer proteção das autoridades.

“O policial uniformizado entrou no quarto e nós tivemos que fazer tudo que ele querida. Durou entre três e quatro horas”, disse Karla. “Eu tinha nojo dele, ele sabia que nós éramos menores”.

Durante os quatro anos em que foi forçada a vender a si mesma, Karla disse ter feito sexo 43.200 vezes.

Algumas vezes ela chorou, mas aqueles que a estupraram apenas riram, ela disse.

Quando ela tinha 16 anos, sua chance de escapar apareceu.

Uma organização que ajuda garotos e garotas que são vítimas de tráfico sexual. Ela finalmente conseguiu escapar do inferno que teve que suportar por quatro anos.

Apesar de suas terríveis experiências, ela nunca desistiu de ter uma vida melhor. Em vez disso, ela se juntou à organização e agora ajuda outras pessoas em situações semelhantes.

“Eu nunca imaginei que aquela garota que ficava na esquina usando salto alto, forçada a se prostituir, se sentiria tão forte”, Karla contou à CNN Freedom Project. “Hoje em dia, muitas pessoas me escutam”.

Hoje, Karla, que está com 24 anos, fala publicamente sua provação para que mais pessoas entendam a seriedade da situação e ajudem outras crianças.

Seu objetivo é ajudar a prevenir que mais garotos e garotas terminem na mesma situação em que ela esteve.

Saiba mais sobre a história de Karla no vídeo a seguir:

Que jovem incrivelmente forte. Embora tenha sofrido, ela seguiu em frente e está dedicando sua vida a ajudar os outros.

Compartilhe para ajudar Karla a conscientizar as pessoas e para apoiá-la em seu papel vital de ajudar os outros.

Publicado por Newsner. Por favor, curta.