Tweet about this on Twitter Pin on Pinterest Share on Facebook

Mãe de 24 anos embala seu bebê morto – ela tem uma importante mensagem para o assassino

Kristian reparou pela primeira vez em Fabian quando eles estavam no colegial. Ele era a estrela do time de futebol da escola.

Eles se casaram em 2015 e estavam trabalhando para construir seus sonhos juntos. Quando viajaram para casa em uma comemoração no dia 2 de agosto, eles tinham muito pelo que esperar – inclusive o nascimento do primeiro filho.

Mas, de repente, tudo foi arruinado.

Kristian e Fabian casaram-se em 14 de novembro de 2015. Fabian trabalhava e apoiava Kristian enquanto ela seguia seu sonho de ter sua licença de cosmetologia.

Apenas dois meses depois de Kristian começar suas aulas, ela e Fabian tiveram uma notícia inesperada, mas positiva: Kristian estava grávida. Ambos estavam muito felizes. O bebê era esperado para a véspera do ano novo de 2016.

A comemoração foi marcada para 8 de agosto, mas, tragicamente, ela nunca aconteceu.

Em 2 de agosto, Fabian, Kristian e seu filho ainda não nascido estavam dirigindo do Texas para casa, depois de terem celebrado que Fabian tinha finalmente conquistado sua residência norte-americana, coisa que ele tentava intensamente desde que migrou do México.

Kristian dirigiu no caminho de casa. A única coisa de que ela se lembra é que um carro de repente desviou em sua direção e ela tentou escapar. Então tudo ficou preto. O motorista do outro carro era Shana Elliot, de 21 anos. Tinha bebido álcool antes de pegar no volante.

Fabian morreu imediatamente, e Kristian ficou gravemente ferida. O batimento cardíaco de seu bebê era fraco quando eles chegaram ao hospital. Mais tarde, o coração dele parou de bater. Kristian estava em coma induzido e ainda conseguiu segurar seu bebê por tempo suficiente para lhe dizer adeus.

Kristian tem que viver com a sua perda todos os dias, mas ela está determinada que a morte de Fabian e de Fabian Júnior não tenha sido em vão.

Ela escreveu uma mensagem em sua conta do Facebook que espera que as pessoas pensem duas vezes em dirigir bêbadas ou deixar os outros dirigirem depois de terem bebido:

“Essa sou eu finalmente conseguindo segurar meu filho. Isso depois de ter ficado em coma induzido por quase 24 horas depois de sobreviver a um acidente de carro que aparentemente matou meu marido e meu filho. Tudo porque alguém achou legal beber e dirigir. Não é legal. O que é legal é você impedir um amigo de dirigir, é você tirar as chaves de alguém que aparenta ter bebido. E é legal você pegar o telefone e pedir uma carona quando você está se sentindo bêbado. Não é um sinal de fraqueza. É um sinal de maturidade ser honesto consigo mesmo e saber que as consequências de dirigir bêbado ultrapassam qualquer vergonha que você possa sentir ao admitir que está bêbado demais para dirigir.

O que não é legal é desperdiçar o resto da sua vida com a culpa de saber que você tirou a vida de alguém e tirou a vida de alguém antes mesmo de essa pessoa ter a chance de vir ao mundo. Não beba e dirija. Não arrisque sua liberdade. Você não está colocando apenas a sua vida em perigo, mas também a de todo mundo que está na estrada. Eu poderia ter morrido no dia 2 de agosto, mas Deus tinha outros planos para mim. Eu fui deixada para travar essa batalha em nome do meu marido e do meu filho. E vou continuar a conscientizar e compartilhar essa história até o dia em que eu morrer, na esperança de evitar que alguém mais sinta a dor que eu sinto todos os dias.

Eu me recuso a deixar que a morte do meu marido e do meu filho seja em vão”.

Por favor, ajude-nos a compartilhar a história de Kristian para que mais pessoas compreendam quão devastador pode ser uma pessoa dirigir sobre o efeito do álcool ou de drogas!

Publicado por Newsner. Por favor, curta.

 

Leia mais sobre...