Menina de 1 ano é violentada até a morte – agora todos se emocionam com mensagem poderosa do médico

Muitos de nós acham difícil entender o fato de que existem monstros reais por aí. Que estupram e matam; monstros capazes de transformar nossos piores pesadelos em trágicas realidades.

Para muitos chilenos, há um monstro com o qual eles tem que enfrentar: um homem de 30 anos que estuprou e matou uma menina de apenas um ano e sete meses de idade. Foi um caso que abalou o país.

Muitos argumentaram que o agressor merece a pena de morte. O homem ainda não foi condenado.

Agora, o médico que tratou da menina, Ambar Lazcano, escreveu em um post no Facebook explicando por que ele não acha que a pena de morte deve ser dada ao homem que agrediu essa criança.

O pediatra Alvaro Retamal trabalha no Hospital San Camilo, a 13 km ao norte da capital do Chile, Santiago. Foi ele quem cuidou de Ambar Lazcano, de um ano, quando ela chegou ao local com ferimentos graves. A tia da menina e seu parceiro disseram que a criança havia caído, mas o dano que os médicos perceberam deixou claro que isso estava longe de ser verdade.

Os médicos descobriram que ela havia sido abusada sexualmente; um crime que resultou em sua morte.

A pequena Ambar fora colocada sob os cuidados de sua tia porque sua mãe não podia mais cuidar dela devido a problemas relacionados a drogas.

Segundo El Comercio, outro tio se ofereceu para cuidar da menina, mas ele foi negado pelas autoridades do país porque é homossexual.

E Ambar acabou em uma casa onde ela eventualmente seria morta.

O doutor Retamal escreveu em seu Facebook sobre como foi doloroso para ele e para a equipe do hospital ver a pequena Ambar lutando por sua vida. No entanto, ele não acredita que a pena de morte deva ser usada no caso. O post abaixo é do próprio médico e foi compartilhado por dezenas de milhares de pessoas.

Posted by Alvaro Retamal Matus on Tuesday, 19 December 2017

Veja a mensagem – já traduzida – do Dr. Retamal

“É tão fácil ficar bravo e exigir a pena de morte para um monstro como este.

Um criminoso que certamente merece a pena de morte por esses crimes… e é fácil aceitar essa ideia. Quando Amber Lazcano estava no hospital, lutamos para salvar sua vida, quando vimos seu corpo frágil, suas mãozinhas, quando, no meio de tudo, acariciei sua testa e lhe disse para viver porque o mundo não deixaria alguém a machucar…

Quando você tem a oportunidade de dizer a ela em voz baixa: Por favor, ouça-me: viva! Não há nada a temer, a terra está cheia de pessoas que querem amá-la … Como as tias e tios que a receberam no hospital, que foram com ela na ambulância, que cuidaram dela na sala de emergência do hospital no lPabellón, enquanto operava, e todos nós aqui no hospital … Do atendente, para os médicos que às vezes tentam manter a distância emocional para que não tenhamos que absorver tanta dor.

Todos nós choramos por este lindo anjinho.

E nós claramente desejamos que aquele que fez isso sofra uma punição inimaginável.

Amber finalmente conseguiu descansar de uma vida cheia de dor. Segurei suas mãos quando ela nos deixou e, sem ser digno, abençoei-a, só porque eu era a pessoa que estava lá. Eu não sou padre nem pai dela.

O que sinto hoje não é o desejo de matar alguém, porque é um ato que não resolve nada. Hoje, sinto que devemos estar lá para acabar com o que aconteceu com Amber e tantos outros …

É fácil exigir a pena de morte. Mas por que não tomamos todo o ódio que sentimos agora e o transformamos em amor e proteção para todos os nossos filhos? Para quem não tem pais, mas também para quem não pode pedir ajuda; aqueles que não conhecemos ou não queremos conhecer que sofrem em silêncio.

Nossa missão deve ser organizar e proteger as crianças do mal que nos rodeia no mundo, entre todas as colinas e montanhas. Isso levará a algo que pode ser útil para os outros. Pedir a morte de um monstro leva apenas ao alívio”.

Que fácil enojarse y pedir pena de muerte para un monstruo como este, criminal que seguramente, como todo UDI, pedía…

Posted by Alvaro Retamal Matus on Sunday, 29 April 2018

Como sociedade, devemos nos esforçar para um ambiente onde situações como a terrível coisa que aconteceu com o Ambar não existam mais. Como este médico escreveu, condenar alguém à morte não ajuda a mudar as coisas a longo prazo.

Você concorda? Por favor, deixe seus pensamentos e dê sua opinião na caixa de comentários!

Imagem da capa: Shutterstock (A imagem da menina não tem nada a ver com o conteúdo do artigo).