Tweet about this on Twitter Pin on Pinterest Share on Facebook

Mãe de duas crianças acha que está grávida: em vez disso, “dá à luz” um tumor prestes a matá-la

Lauren Knowles ficou muito feliz quando achou que estava esperando seu segundo filho.

Ela e o marido, Trent, já tinham muito trabalho com o primogênito, mas isso não impediu que eles quisessem ampliar a família.

Mas apenas sete semanas após o teste de gravidez revelar-se positivo, uma verdade chocante veio à tona.

Mãe de dois filhos, a escocesa Lauren Knowles viveu recentemente uma experiência que ninguém deveria ter que passar, como informou o Daily Mail.

No começo, ela estava encantada ao descobrir que estava grávida, mas depois de apenas sete semanas, começou a sentir-se muito mal.

“Depois que comecei a sangrar, fiz testes adicionais quando estava com sete semanas”, Lauren disse ao The Daily Mail.

Ela foi até um hospital para um ultrassom – e foi quando ela recebeu notícias horríveis.

Segundo os médicos, Lauren não estava grávida, mas passava por uma “gravidez molar“. Isto ocorre quando há um conjunto adicional de cromossomos do pai no ovo fertilizado.

O problema pode acontecer durante a concepção, onde o que normalmente seria a placenta vira uma massa crescente de cistos.

Para piorar as coisas – os cistos eram malignos.

“O tumor cresceu no meu útero da mesma maneira que um bebê”, disse Lauren ao The Daily Mail. “Os mesmos hormônios foram produzidos e meus testes de gravidez sempre deram positivos”.

Continuou crescendo

Os médicos, portanto, começaram por remover o tecido do câncer e Lauren teve que passar por quimioterapia e perdeu o cabelo.

Infelizmente, seu tumor continuou a crescer em um ritmo preocupante.

Um dia, após cólicas severas e dolorosas, Lauren finalmente “deu à luz” a uma massa de câncer sozinha no banheiro.

“Perdi todos os meus cabelos e três meses após o início do tratamento, expeli a massa num dos sanitários do hospital”, ela contou ao The Daily Mail. “A massa tinha o mesmo tamanho que um bebê de 17 semanas. Era um grande tumor para pôr pra fora sem assistência”.

Apesar do susto, ela ficou feliz: “Fiquei tão aliviada quando vi o tumor no banheiro e soube que minha provação estava finalmente acabada”.

O tumor era do tamanho de uma pêra e Lauren estava feliz porque sabia que ela finalmente estava livre de câncer.

Embora os médicos a avisassem sobre engravidar no futuro — Lauren queria tentar novamente.

Recomendaram a ela que esperarasse pelo menos um ano antes de tentar ter filhos. Lauren ouviu os médicos e 12 meses depois estava grávida de Indi, que agora tem 10 meses de idade.

“Toda a minha gravidez eu fiquei com medo de que fosse novamente molar”, disse ela ao The Daily Mail. “Então eu não consegui aproveitar a sensação de carregar uma criança”.

Mas quando ela e Trent viram o primeiro ultrassom e um coração batendo – não havia como parar as lágrimas.

A filha do casal, Indi, nasceu cinco semanas antes através de uma cesariana. A menina chegou completamente saudável e perfeita. A família agradeceu que tudo tenha saído bem.

A pequena Indi trouxe muita luz e alegria! A família se mudou e mora em Perth, na Austrália.

Lauren agora espera que sua história possa dar esperança às pessoas, mesmo nas piores situações — fazer o impossível ainda parecer possível.

Ela é uma mãe forte que conseguiu superar essa história incrível e improvável.

Por favor, compartilhe para educar as pessoas sobre esse tipo de gravidez e para desejar a esta família o melhor para futuro!

Publicado por Newsner. Por favor, curta.