Tweet about this on Twitter Pin on Pinterest Share on Facebook

Mulher de 27 anos se recusa a trabalhar e quer apoio da previdência social — o motivo está deixando as pessoas furiosas

Nim Murphy, de 27 anos, teve que abandonar seu trabalho como membro da equipe de palco para artistas em turnê. E diz que não pode retornar a menos que consiga uma cirurgia plástica. Uma vez que não pode pagar a operação, Nim afirma que tem direito de recorrer a ela pela assistência social.

O estado não concedeu o seu desejo, e o caso agora recebeu grande atenção na mídia e deixou muita gente furiosa. O motivo? Ela quer que o governo pague pela operação de redução da mama.

Trabalhar em uma equipe de turnê para concertos e festivais envolve muito trabalho físico e para a australiana Nim Murphy, de 27 anos, isso se torna ainda mais pesado devido aos seus seios grandes. Segundo ela, devido ao problema, ela tem muitas dores nas costas e no pescoço, além de também ter crises de enxaquecas frequentes.

“Há cerca de dois anos e meio eu fiquei doente, fui sair de casa e comecei a vomitar no meu quintal, de tanta dor. Então eu tive que parar de trabalhar”, Nim contou ao Daily Mail.

Sem recursos para a operação

Com o passar dos meses, o fardo tornou-se demais e Nim deixou seu emprego por causa da dor. Ela queria uma redução de mama, mas como não tinha seguro de saúde, não podia pagar por isso. Só seria possível se o estado a financiasse.

Tem que esperar anos

Nim teve o pedido de cirurgia negado. Seu caso não era considerado urgente. Mas, de acordo com Nim e seu parceiro, seus seios causam dor de cabeça tão intensa que afeta todos os dias das suas vidas.

“Não consigo trabalhar, não posso me exercitar corretamente, não tenho condições de fazer a maioria das coisas que deveria fazer”, diz Nim.

 

Nim agora terá que esperar uma cirurgia como muitos outras pessoas, mas a lista de espera é tão longa que pode demorar vários anos

Você acha que Nim merece ter a operação de redução de mama paga pelo governo? Compartilhe para mostrar o seu apoio a ela e a outras mulheres em sua situação.

Publicado por Newsner. Por favor, curta.