Tweet about this on Twitter Pin on Pinterest Share on Facebook

Padrasto é feito de bobo no casamento da enteada e responde com palavras que fazem todos congelar

Hoje, não é incomum que existam diferentes tipos de famílias das consideradas tradicionais.

Padrastos, madrastas, enteados, meio-irmãos e irmãs são comuns. E para muitos, isso funciona.

Para o padrasto nesta história, no entanto, as coisas não estavam indo tão bem.

Ele conta a história sobre como acolheu e apoiou a nova parceira e a filha de um relacionamento anterior … mas quando chegou o grande dia do casamento desta filha, as coisas tiveram viraram do avesso.

Não está claro se a história desse homem aconteceu realmente ou não, mas vale a pena ler de qualquer maneira.

Minha enteada iria se casar no dia três de novembro. O planejamento do casamento consumiu boa parte da vida dela e da mãe (eu digo sua mãe porque não somos casados, embora vivamos juntos há anos) nos últimos seis meses.

Ela se formou em dezembro passado na universidade. Eu paguei para que ela pudesse ir para a faculdade e, embora fosse uma escola estadual, ainda custou cerca de 40 mil dólares. Ela não tem um emprego e viveu conosco durante o curso até formatura. Eu também comprei um carro para ela poder ir e voltar da escola quando terminou o ensino médio.

De tempos em tempos, o pai ausente aparecia na vida dela como se nada tivesse acontecido e ela sempre voltava a se aproximar dele. Embora não tenha contribuído com um centavo para a educação ou tenha dado qualquer apoio à criança, ainda que também seja culpa da minha namorada, porque C.S. tem nada a ver com isso e ainda o ama e o quer em sua vida. Ele fica o tempo suficiente para partir seu coração, passando pela cidade e quebrando as promessas que fez a ela.

O local do casamento tem capacidade para 250 pessoas, no máximo. Eu dei a elas uma lista de 20 pessoas que eu queria convidar, afinal eu paguei por tudo. Elas me disseram que não havia problema e que iriam cuidar disso. Então eu avisei a essas pessoas que receberiam um convite e que deveriam guardar a data. Sábado, quando vi um dos meus amigos da lista no campo de golfe, perguntei se ele iria. Porém, ele me disse que não tinha sido convidado, que tinha recebido um anúncio, mas não um convite. O anúncio estava guardado no banco de trás do carro dele e ele me mostrou. Definitivamente, era apenas um anúncio e meu nome não estava nele. Tinha o nome do seu pai biológico, o da mãe, mas não o meu.

Isso levou a uma grande discussão com a minha namorada. NENHUMA pessoa da minha lista de convidados estava lá porque “250 pessoas é um número muito apertado”. Eu estava chateado, mas havia muito que eu pudesse fazer porque pessoas importantes na minha vida já haviam sido ofendidas. A minha parceira disse que “se algumas pessoas não pudessem ir, sim, eu poderia conseguir convites para um par de pessoas”. Mas essa foi uma bofetada final. Então, eu estava furioso no sábado.

Ontem, tivemos um jantar de domingo com a família do meu futuro genro e um convidado de surpresa, o “Pai Real”. No jantar, minha enteada anunciou que o “pai de verdade” estaria presente no casamento e poderia levá-la ao altar. Isto foi saudado com coros de “Oh, que ótimo” e “Quão maravilhoso é isso”.

Eu não acho que eu tenha me sentido tão bravo e tão desrespeitado na minha vida. Eu estava tremendo. Respirei por alguns segundos para manter a compostura, porque honestamente não tinha certeza se eu choraria ou começava dar socos ou ambos.

Como eu tinha certeza de que poderia falar na recepção, levantei-me da cadeira e disse que gostaria de fazer um brinde. Não consigo lembrar exatamente o que eu disse, mas a essência foi a seguinte:

“Eu gostaria de fazer um brinde”. O som de colheres contra os copos ressoa nos meus ouvidos. “Foi um grande prazer fazer parte desta família nos últimos dez anos”. Oh, que doce. “Neste ponto da minha vida, sinto que tenho uma dívida de gratidão aos noivos, porque abriram meus olhos para algo muito importante”. Sorrisos trocados. “Eles me mostraram que minha posição nesta família não é o que eu pensei que era”. E agora um misto de confusão e choque começa a se espalhar nos rostos da sala. “Embora eu pensasse em mim como o patriarca da família, com muito respeito, procurado ajudar em momentos de necessidade, parece que eu tenho mais a posição de um caixa eletrônico, bom para um fluxo de dinheiro, mas não muito mais. Já que eu fui substituído como anfitrião, tanto nos convites quanto na cerimônia, estou renunciando às minhas funções financeiras em favor do meu sucessor, o ‘pai verdadeiro’. Então, saúde para o casal feliz e o caminho que escolheram.” Eu terminei minha bebida. “Vocês podem já podem sair”.

Isso é egoísta? Eu deveria desembolsar 40, 50 mil por um casamento no qual eu não posso convidar ninguém? De que não sou parte? Estou farto dessa porcaria. Estou farto da minha enteada, terminei com a minha namorada. Transferi o dinheiro da nossa conta conjunta ontem à noite (ela não teve um emprego desde que mudou-se para a minha casa). Esta manhã liguei para todos os fornecedores a quem eu tinha passado cheques para depósitos para reembolsar meu dinheiro. No momento, parece que vou perder cerca de US$ 1.500 para o local do casamento, mas os demais têm sido compreensíveis em me reembolsar.

Você acha que esse padrasto deveria ter pago o casamento ou ele estava certo em se mandar? Você já esteve em uma situação similar ou conhece alguém que esteve? Fique à vontade para compartilhar este artigo no Facebook e nos dizer o que você pensa sobre isso!

Publicado pela Newsner. Por favor, curta.
 

Leia mais sobre...