Tweet about this on Twitter Pin on Pinterest Share on Facebook

Garoto de 8 anos esconde câmeras na floresta – imagens incríveis provam que pesquisadores estão errados

Para mim, é óbvio que os animais têm emoções. Talvez elas não sejam tão complexas quanto as emoções que os seres humanos têm, mas eu estou certo de que eles podem sentir frio, tristeza e alegria.

Eu sei disso por experiência própria. Cresci em uma fazenda e sei que as ovelhas e as vacas são criaturas emocionais. Elas ficam alegres nas refeições, tristes por estarem separadas dos seus pequeninos e se tornam temerosas na presença de estranhos ou com sons altos.

Entretanto, nem todo mundo cresceu com animais à sua volta e sabe disso. E é por isso que a descoberta do menino de 8 anos Dante de Kort é tão importante.

O garoto do Arizona provou que porcos selvagens têm vidas emocionalmente mais profundas do que muitas pessoas acreditavam anteriormente. E ele fez isso colocando câmeras escondidas na floresta perto de sua casa.

Dante de Kort, de 8 anos, sempre se interessou por animais. Talvez porque haja tantos animais selvagens na área ao redor da sua casa, no Arizona.

Se Dante tivesse que escolher seu animal favorito, ele provavelmente escolheria o queixada, ou javelina. É uma espécie de porco selvagem que ele gosta de estudar e filmar.

Um dia, a mãe de Dante estava lendo um artigo sobre porcos selvagens e o garoto reagiu fortemente a isso. O autor do artigo dizia que porcos selvagens se aventuravam sozinhos na floresta para morrer quando estavam velhos ou doentes.

Mas Dante sabia mais do que ele.

Dante sabia que os animais se preocupavam muito uns com os outros para deixar que um que estivesse velho e doente morresse sozinho. Ele até viu porcos selvagens chorarem seus mortos.

Então Dante decidiu desmentir o autor do artigo fazendo seu próprio estudo usando câmeras de vídeo.

De acordo com os pesquisadores, apenas alguns poucos animais lamentam seus mortos. Sabemos que os elefantes, chipanzés e golfinhos apresentam esse comportamento, mas não há muito documentado a respeito de outras espécies fazendo isso.

Dante e sua mãe colocaram câmeras escondidas na floresta e conseguiram captar algo incrível no vídeo.

Eles filmaram porcos selvagens, ou queixadas, visitando um membro da família morto.

Os membros da família se reuniram em torno de seu amigo morto e se sentaram com ele.

E até mesmo ficaram adormecidos ao seu lado.

Dante apresentou sua pesquisa na feira de ciências, o que atraiu muita atenção, incluindo a de uma pesquisadora chamada Mariana Altrichter. Ela estava lá apenas para ver o projeto da filha.

“Eu estava caminhando em busca de projetos relacionados a história natural quando encontrei o cartaz de Dante, mostrando fotos de queixadas… quando eu comecei a ler, não consegui acreditar no que era”, ela diz ao The Dodo.

Mariana nunca tinha ouvido falar de porcos selvagens que se comportavam dessa maneira em relação a seus parentes mortos.

Pesquisadores não deram atenção

Em sua apresentação, Dante descreveu como ele tentou entrar em contato com pesquisadores da área para mostrar seus vídeos, mas ninguém se deu ao trabalho de responder às mensagens do menino de 8 anos de idade.

Então, Mariana decidiu ajuda-lo.

Já que ela é pesquisadora, Mariana decidiu publicar um artigo científico sobre o assunto com a colaboração de Dante. Não demorou muito para que jornais e programas de TV quisessem noticiar a descoberta.

Agora, Mariana espera que a descoberta de Dante leve a uma maior compreensão acerca desses animais.

“Muitas pessoas os veem como um incômodo, especialmente nos EUA, onde caminham pelos quintais das pessoas, comem plantas ornamentais etc.”, diz ela. “Essas descobertas podem ajudar as pessoas a vê-los de maneira diferente, como animais inteligentes com relações sociais complexas”.

Veja um pouco do material filmado por Dante aqui:

Esse garoto de 8 anos de idade merece todas as homenagens do mundo pela sua descoberta. Com sorte, isso ajudará a convencer mais pessoas de que os animais têm emoções complexas também.

Nós, humanos, gostamos de nos sentirmos superiores a todas as criaturas da Terra, quando o fato é que o planeta pertence a todas as espécies. Compartilhe se você concorda!

Publicado pela Bíblia dos Animais. Por favor, curta.