Tweet about this on Twitter Pin on Pinterest Share on Facebook

Bebê de 2 anos fica azul e vomita sangue — poucas horas depois ela já está morta

Perder um filho é uma experiência que ninguém deveria ter de viver.

Não importa a idade do filho — assistir à morte de um filho ou filha é certamente o pior pesadelo de qualquer pai ou mãe.

Não posso nem imaginar como se sentiram Stephanie e Brian, americanos de Tulsa, Oklahoma, enquanto viajavam na ambulância com a filha Brianna — bem no meio da loucura das festas de fim de ano.

O rosto da menina de 2 anos tinha ficado azul, de repente, e ela começou a vomitar sangue.

Brianna foi operada imediatamente, mas infelizmente não sobreviveu. A causa? Uma minúscula bateria de lítio.

 

Facebook/StephanieFlorer

Os pais de Brianna perceberam que havia algo de errado com a filha de 2 anos quando ela apresentou uma febre discreta, na manhã de Natal de 2015.

Como a febre é um sintoma comum, os pais não ficaram imediatamente preocupados, mas quando Brianna começou a ficar azulada e a vomitar sangue, eles perceberam a gravidade da situação.

Facebook/StephanieFlorer

Eles chamaram uma ambulância e, quando chegaram ao hospital, Brianna foi levada imediatamente para cirurgia.

Mas era tarde demais.

“A cirurgia levou duas horas, mas eles não conseguiram estancar o sangramento a tempo”, explicou o avô da menina, Kent Vice, ao jornal Daily Mail.

Wikipedia

Logo se soube que Brianna tinha engolido por acidente uma pequena bateria, do tamanho de uma moedinha de 10 centavos.

Esse tipo de bateria é usado em muitos objetos de uso corrente no dia-a-dia: controles remotos, relógios e chaves de carro, para citar alguns. Há relatos de casos em que crianças engoliram estas baterias, mas não morreram — a bateria simplesmente passa pelo sistema digestivo e sai quando elas vão ao banheiro.

“Mas as baterias podem ser fatais se ficarem presas no esôfago”, explicou ao jornal The Oklahoman o médico Toby Litovitz.

Ou se ficarem presas em qualquer outros lugar, elas podem começar a soltar o ácido que há dentro delas, e logo se transformam numa armadilha mortal.

No caso de Brianna, o ácido da bateria causou um grande estrago em seu esôfago, onde estava estacionada.

Facebook/StephanieFlorer

Os pais de Brianna não tinham ideia de onde ou como a filha poderia ter engolido a beteria, mas os médicos imaginam que o incidente tenha ocorrido cerca de seis dias antes da morte da menina.

A família agora está se dedicando a divulgar os perigos destas baterias pequeninas. Entre outros lugares, eles estão fazendo campanhas no Facebook.

“Acredito que estas baterias devem ser banidas de todas as casas. Elas são perigosas”, diz o avô de Brianna.

Facebook/StephanieFlorer

De acordo com o Daily Mail, há cerca de 12 mil casos registrados de crianças que engoliram baterias, somente entre 2005 e 2014.

Deste total, 15 perderam suas vidas como resultado.

Por isso, é mesmo muito importante ter todo cuidado com essas baterias e impedir que as crianças pequenas tenham acesso ao local onde se costuma guardá-las.

Facebook

Não é preciso mais de poucos segundos para uma criança engolir algo perigoso — mas o estrago pode ser grande.

Se você suspeitar que seu filho tenha engolido uma bateria, primeiro observe como ela se sente. Não a force a vomitar — mas se a criança tiver dificuldade para respirar ou começar a vomitar naturalemente, vá direto ao hospital.

Se a criança não apresentar nenhum sintoma, você pode esperar e ver se a bateria sai por si só. Se a bateria não tiver saído depois de um ou dois dias, ou se houver outros sintomas, procure um médico.

Facebook/TessMaune

Por mais que seja difícil imaginar a dor que os pais de Brianna enfrentam, eles estão tentando nos alertar sobre este perigo mortal. Não posso deixar de compartilhar esta história com todos que conheço — quero evitar ouvir outros dramas parecidos! 

Juntos, podemos chamar a atenção para este perigo e garantir que Brianna não tenha morrido em vão. 

Published by Newsner. Please like.