Tweet about this on Twitter Pin on Pinterest Share on Facebook

Mãe se depara com estranho no mercado, e ele diz à filha dela: “Diga adeus à mamãe.”

É uma ocorrência normal numa mercearia: mãe e filho na fila esperando para pagar e outros clientes comentam que seus filhos são fofos.

Nove em dez vezes isso é completamente inofensivo, mas como pai ou mãe é importante estar atento.

Em alguns casos, um estranho pode ter segundas intenções ao envolver um pai ou mãe em uma conversa… como Amanda Cropsey Florczykowski soube muito bem. Agora, ela quer avisar outros pais para estarem atentos.

Amanda Cropsey Florczykowski estava fazendo compras com sua filha em Longview, no Texas.

“Eu entrei na fila para pagar em um mercado local no início da tarde. Eu tirei minha filha do carrinho e um casal começou aquela típica conversa sobre como ‘sua filha é linda’ e depois perguntou sobre sua idade, repetidamente. Eu inicialmente entendia que era algo como uma barreira cultural, mas rapidamente fiquei desconfortável com a linguagem corporal da mulher e da sua proximidade com o meu carrinho e minha filha”, escreveu Amanda no Facebook.

“Eu peguei minha filha e a mulher perguntou se poderia segurá-la. Ela estava tão próxima que minha criança estava com seus braços em torno da mulher antes que eu pudesse realmente responder. Em um instante, sua proximidade mudou e ela foi recuando. Segurei a minha filha enquanto a mulher dizia: ‘Diga tchau para a mãe’, o que foi muito estranho. A mulher resistiu em devolvê-la, mas consegui, com muita força, tirar minha filha dela”, Amanda continua no Facebook.

“Isso tudo aconteceu em questão de minutos. Depois, fiquei realmente abalada, mas ainda pude notar o homem a poucos metros de distância na minha visão periférica, sozinho, sem compras, em uma das filas”, Amanda escreveu no Facebook.

O homem continuava a observar Amanda e sua filha. Ela respondeu olhando para trás, falando alto com o caixa e a equipe de segurança da loja sobre o casal suspeito. A caixa pensou que o casal conhecia Amanda, a julgar pela linguagem corporal.

Felizmente, a mãe e a filha conseguiram sair da loja com segurança.

Quando ela voltou para casa, pesquisou sobre tráfico sexual e descobriu que algumas técnicas de sequestro eram bem parecidas com a sua experiência nesse dia no mercado.

Amanda não sabe com certeza qual era a intenção do casal, mas sentiu que algo ruim estava acontecendo. Ela resolveu escrever um post no Facebook para alertar os outros pais.

Amanda quer chamar a atenção para algumas coisas a serem observadas:

“Os sequestradores muitas vezes trabalham em grupos e se posicionam em vários pontos dos estabelecimentos. Embora não parecesse que os três indivíduos estavam fazendo compras juntos, tenho certeza de que o homem e esse casal eram uma equipe. ”

“O casal parecia de descendência East Indian e o homem era branco e coberto de tatuagens – todos por volta dos 30 anos. Cuidado, não importa a cor, aparência, idade ou sexo”.

“O casal passou no caixa com dois itens de pouco valor. Algo que eles poderiam facilmente abandonar depois”.

“A mulher mantinha uma proximidade alarmante para mim e chegou a colocar a mão no meu carrinho. Ela se colocou de um jeito deixando minha atenção dividida entre minha filha e minhas compras”.

Que experiência desagradável. Mas eu estou aliviado que Amanda e sua filha puderam fugir com segurança!

Por favor, compartilhe este artigo para ajudar a alertar os outros pais para estar em alerta o tempo todo. Se pode ajudar os pais a manter seus filhos seguros, então já valeu a pena!

Publicado por Newsner. Por favor, curta